NOtÍCIAS

O Flamenco Jazz Project de María Toro e a soul music de Koko Jean-Davis vão embalar o terceiro dia do Festival

Segunda-feira também é o dia do jazz de Heriberto Porto e Thiago Almeida e do blues de Igor Prado Band

Duas atrações internacionais marcam a programação desta segunda-feira no 17° Festival Jazz & Blues. Da Espanha, a flautista María Toro apresenta o Flamenco Jazz Project, uma fusão do gênero da Galícia, sua terra, com a experiência do jazz adquirida em Nova Iorque, onde tocou ao lado de nomes como Jack DeJohnette e Richard Bona.No Festival, a flautista participou do Café no Tom às 11h no restaurante Basílico e apresenta-se às 17h30 na Cidade Jazz & Blues como María Toro Quartet, que tem Bruno Repsold no contrabaixo, Emile Saubole na bateria e o cearense Cainã Cavalcante no violão.

Também vem da Espanha, onde reside, a moçambicana Koko Jean-Davis, que se consagrou mundialmente com seu vozeirão e sua performance marcantes. Sua música é baseada nas divas da Soul Music dos anos 60, sendo muitas vezes comparada a Tina Turner dos anos 60, quando ainda era Tina Turner & The Ikettes. A cantora faz Ensaio Aberto às 17h e show às 21h. Na Tour 2016, que inclui o Festival Jazz & Blues, Koko-Jean Davis apresenta-se com Igor Prado (guitarra e voz), Yuri Prado (bateria), Rodrigo Mantovani (baixo elétrico e voz) e Raphael Wressnig (Hammond B3).

Abrindo a sessão das 21h, o flautista Heriberto Porto e o pianista Thiago Almeida apresentam "Tudo Vem", com uma coletânea de obras-primas, partindo do baião de Luizinho Duarte - que dá nome ao show -, até uma peça do compositor francês Maurice Ravel, passando por músicas de Luiz Eça, Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal e outros grandes nomes da música. Na Jam Session, muito blues com Igor Prado Band, grupo paulista que já passou pelos maiores festivais do mundo. Em abril do ano passado, seu álbum “Way Down South” atingiu o primeiro lugar das paradas norte-americanas.

Virtuosismo na terça-feira

O último dia da programação serrana do Festival Jazz & Blues será com o gaitista brasiliense Pablo Fagundes, acompanhado por Félix Jr. (violão 7 cordas), Márcio Marinho (cavaquinho 5 cordas) e Valério Xavier (percussão); o duo de violonistas cearenses Eduardo Holanda e Cainã Cavalcante; o guitarrista e compositor mineiro Toninho Horta com sua Orquestra Fantasma; e o "incendiário" organista autraliano Raphael Wressnig, com sua Hammond B3. Eles se apresentam, respectivamente, no Show ao Pôr do Sol às 17h, na sessão de duas atrações às 21h e na Jam Session à meia-noite. Depois, o Festival segue para Fortaleza, com shows e oficinas de quinta (11) a sábado (13).

Domingo de emoção e homenagens no palco do Festival

O domingo foi de pura emoção com grandes instrumentistas em cena. Começou com o tributo a John Coltrane na interpretação de Marcio Resende, Thiago Almeida, Iury Batista e David Krebs. À noite, Di Ferreira e Cláudio Mendes levantaram a plateia abrindo o show Beat in Jazz com o clássico "Night and Day". Depois foi a vez de três dos maiores instrumentistas brasileiros, Gilson Peranzzetta, Zeca Assumpção e Mingo Araújo, que também abriram o show com um clássico, "Asa Branca", de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira. Seguiram a apresentação com composições de Peranzzetta e, com o cantor João Senise, interpretando canções de Ivan Lins e parceiros. Fechando a noite de domingo, o cearense Artur Menezes esquentou a Jam Session com o repertório de "Drive Me", seu novo disco.


 

VOLTAR

NEWSLETTER

Cadastre-se para receber no seu inbox.

Captcha Image

Thank you! Your submission has been received!

Oops! Something went wrong while submitting the form